top of page

Equipe do Hospital São Francisco recebe capacitação sobre prevenção e tratamento de feridas

Participaram do treinamento, ministrado por estomaterapeutas, enfermeiros, técnicos de enfermagem, nutricionista e farmacêuticos


Treinamento foi ministrado para a Comissão de Feridas do Hospital São Francisco. Foto: Divulgação

A Comissão de Feridas do São Francisco Instituto Vida recebeu, neste mês, o treinamento “O Enfermeiro e o seu papel no tratamento de feridas”, ministrado pelas enfermeiras estomaterapeutas Karina Salviato e Thais Safranov, no auditório do hospital.


A gestora de Qualidade e Enfermagem do São Francisco, Fabiana Figueiró Z. Feijó Moreno, explica que o objetivo do treinamento foi trabalhar o papel do enfermeiro na prevenção de feridas.


“Quando o paciente desenvolve ferida, como lesão por pressão, aumenta a sua permanência no hospital, o risco de infecção, a quantidade de medicamentos utilizados, assim como os custos para os planos de saúde e o desconforto da família”, justifica.


É por isso que, segundo Fabiana, assim que o paciente é internado no São Francisco, a equipe de enfermagem realiza um protocolo de lesão por pressão, que determina as chances de ele desenvolver uma ferida, especialmente nos acamados, idosos e naqueles com dificuldades de nutrição.


A capacitação trabalhou a prevenção e também a rápida identificação do desenvolvimento de feridas para início imediato do tratamento.


“A prevenção não é responsabilidade apenas do enfermeiro. A formação de feridas pode estar relacionada ao estado geral do paciente. O importante, nestes casos, é identificar o quanto antes e começar a tratar”, explica.


A enfermeira Thais Safranov explica que o treinamento abordou a anatomia e fisiologia da pele para que os profissionais entendam como as lesões ocorrem e as formas de prevenção e tratamento.


Segundo a especialista, o enfermeiro tem papel importante na avaliação das feridas e realização de curativos. É ele quem deve avaliar o tipo de produto a ser usado e se a ferida possui algum tecido morto em que a enfermagem não consiga atuar diretamente, que necessite de avaliação médica, por exemplo.


“É fundamental ter uma equipe multidisciplinar para a prevenção e tratamento e um protocolo de feridas, como o que o São Francisco possui, indispensável para a conquista de acreditações hospitalares”, afirma.


Participaram do treinamento enfermeiros, técnicos de enfermagem, nutricionista, farmacêuticos.

50 visualizações0 comentário

Comentários


bottom of page